De Valinhos para o mundo! Conheça Léo Passos o camisa 10 do Palmeiras na Libertadores

0
6943

O aniversário do meia-atacante Léo Passos foi nesta segunda-feira (13), mas o presente ele recebeu com antecedência. Um dos destaques do Sub-20 do Palmeiras, o jogador de 18 anos foi inscrito pelo clube na Copa Conmebol Libertadores Bridgestone, com a camisa 10.  O jogador nasceu em Campinas, mas com apenas 3 anos de idade,  mudou-se com sua família para Valinhos. No Clube Atlético Valinhense, com apenas 5 anos de idade, começou sua jornada no Futebol. Léo se destacou rapidamente nas categorias de base, aos 10 anos, foi vice-campeão paulista sub-11 pelo extinto Campinas Futebol Clube e depois passou pela Ponte Preta

Final do Paulista sub-11 em 2009, onde Léo foi destaque e recebeu convite para jogar na Ponte Preta.

Léo Passos chegou ao Palmeiras em 2013, e chamou a atenção já no ano seguinte, quando foi artilheiro da equipe no Campeonato Paulista Sub-15 (10 gols). Promovido ao Sub-17, ele teve seu melhor ano em 2016: foi novamente o artilheiro do Verdão no Paulista da categoria, com 11 gols, vice-campeão do Mundial de Clubes Sub-17 e da Taça BH. Promovido ao Sub-20, estreou com gol e disputou a Copa São Paulo aos 17 anos.

Léo Passos na final do Mundial de Clubes Sub-17 contra o Real Madrid.

Sobre sua inscrição na Libertadores e sua nova rotina no time profissional, o meia-atacante revela estar confiante e feliz com a nova fase da carreira ” É uma experiência muito rica, jogadores de grande nome ao meu lado, experientes. Vai acrescentando cada vez mais na minha experiência como atleta” afirma o jogador. Léo ainda não estreou como profissional, mas espera em breve vestir a camisa Alviverde.

Léo Passos e Alecsandro, durante treinamento, na Academia de Futebol.

Apesar de ser muito cobiçada, a carreira no futebol é muito concorrida, o meia-atacante conta que já pensou em deixar os gramados, mas nunca desistiu, pois sempre contou com o apoio de sua família “Já pensei em desistir, todo mundo que vive o futebol já pensou nisso. Passei momentos difíceis e minha família me ajudou muito. É o meu maior pilar, sempre conversam comigo, estão juntos nessa caminhada”.