Entrevista com o candidato a Prefeito Alexandre Tonetti

0
744

O Portal Valinhense entrevistou os 3 candidatos a Prefeito de Valinhos, fizemos as mesmas dez perguntas para os 3 candidatos, não editamos nenhuma resposta. Nosso questionário possui as principais dúvidas e indagações da população, como a dívida da cidade e os futuros cuidados com a saúde de Valinhos

Agora confira as respostas do candidato a Prefeito pelo PDT Alexandre Tonetti

1 – Qual é sua carreira política e sua história com Valinhos? 

Nasci na Santa Casa de Valinhos em 1977. Nunca morei em outra cidade. 
Estudei na antiga escolinha do Centro Comunitário do Santa Cruz. A pré escola foi realizada no antigo SESI 404, até a 8ª. No 2° grau cursei Técnico de Edificações na escola Estadual Professor Cyro de Barros Rezende, seguindo influência familiar de avôs e tios construtores e engenheiros. 
Morei no Jurema e na Abolição com meu pais e quando me casei com a Francis nos mudamos para o Lenheiro onde permanecemos até hoje.
Arquitetura e Urbanismo foi o curso escolhido por mim para minha formação e cursei na PUC-Campinas, concluindo em 2000. Nessa fase convivi com o falecido prefeito de Campinas, Antonio da Costa Santos (Toninho).
No mesmo ano em que concluí a graduação abri meu primeiro escritório de Arquitetura e Urbanismo – Tonetti&Associados, com amigos de faculdade. Cheguei a iniciar o processo seletivo para o Mestrado na área de Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo na USP – São Carlos, fui aprovado, mas, por se tratar de um segmento muito acadêmico não dei continuidade. 
Me associei à Associação de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Valinhos (AEAAV) e ao Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB – SP) e comecei a acompanhar as discussões dos Planos Diretores da cidade. 
Em 2002 me casei com Francis Tonetti, na época jornalista. Hoje ela também é professora de biologia. Em dezembro de 2011 nasceu nosso filho, Breno Giovanni.
Nossa casa foi a primeira do loteamento Maria Ilydia, no bairro Lenheiro, em frente ao prédio da APAE, onde moramos até hoje.
Em 2004 Valinhos passava pela revisão do Plano Diretor e participei das audiências públicas na prefeitura contribuindo com propostas que se mostravam alternativa para o caminho que o município vinha trilhando, na contra mão do desenvolvimento sustentável.
Em 2005, junto com amigos, fundamos a Associação Civil Eco Vida Ambiental (EVA), na época apenas Ecoclube Valinhos Ambiental, sendo seu primeiro Diretor Financeiro. Em 2006 fui eleito presidente e intensificamos as atividades da associação com a campanha SOS Remonta. Fui reeleito presidente da EVA por mais dois mandatos, em 2011 e 2014.
Estudamos a Serra dos Cocais e apresentamos proposta de construção de reservatórios de água para abastecimento da cidade, além de realizarmos a campanha SOS Serra dos Cocais – Valinhos na contra mão revoga EIA-RIMA da legislação, dentre várias outras ações. Pela associação, fui eleito Conselheiro de Meio Ambiente por 2 mandatos, Conselheiro de Cultura e Conselheiro de Habitação, por 1 mandato cada.
Em 2007 assumi o cargo de Arquiteto e Urbanista concursado na prefeitura de Hortolândia. Rapidamente passei a ocupar cargo de direção, coordenando a produção de mais de 2.500 moradias populares na Secretaria de Habitação e sendo presidente do Conselho de Habitação daquele município.
Em 2012 fui escolhido para ser candidato a prefeito de Valinhos, terminando em segundo lugar, conquistando 27,88% dos votos, demonstrando que parte da população já ansiava por um novo modelo de desenvolvimento sustentável para a cidade.
No segundo semestre de 2013 iniciei a pós-graduação vindo a me tornar Especialista em Gestão e Políticas Públicas pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) em 2014.
Em dezembro de 2014 eu e mais 19 amigos fundamos a Nova Ágora Cooperativa Habitacional quando fui eleito o primeiro Diretor Presidente da entidade.
Em 2016, por entender que havia se encerrado um ciclo, sai do Partido dos Trabalhadores e, convidado pessoalmente pelo Presidente Nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Carlos Lupi, assumi a presidência do PDT-Valinhos por onde concorro a prefeitura municipal no próximo domingo.

2 – Nesse período eleitoral quais foram as principais reivindicações da população, quais destas reivindicações serão prioridades em seu governo?

A população sente falta de gestão. A cidade começou a ver algum cuidado nos últimos dois meses depois de quase 4 anos ociosos.
Ouvimos de tudo nesse período conversando com as pessoas. Falta creche em período integral, celeridade na saúde, tanto na marcação de consultas quanto de exames. Comprometimento com a periodicidade na entrega dos remédios. Pavimentação para todos e com qualidade. Iluminação adequada. Falta atividades para jovens e idosos. A cidade está parada.
As prioridades vão ser tiradas pelos delegados de cada bairro através do Orçamento Participativo, mas de forma geral vamos fazer um diagnóstico da prefeitura para ver o quadro real de cada setor. Atualmente não temos acesso aos indicadores.

3 – Muito se fala sobre a dívida da cidade. Explique para o cidadão comum, como uma dívida nos cofres públicos pode atrapalhar a gestão de um município e como pretende resolver ou amenizar o problema?

É simples. Você tem mais a pagar do que arrecada todo mês. E as dívidas são com fornecedores. Não se vê investimentos na cidade que justifiquem essa conta. Segundo o Senado Federal, com uma dívida de 60% do PIB (Produto Interno Bruto), uma cidade entra em moratória. Todos sabem que a dívida nesta administração é a maior na história da cidade. Se continuar assim, Valinhos decretará moratória. Além disso, estamos negativados porque a Santa Casa deve a seus fornecedores. Estamos sem crédito para receber recursos dos Programas Estaduais e Federais e isso impede que renegociemos as dividas a curto prazo.

4 – Como pretende capitar recursos e investidores para trazer novas empresas para o município?

Atrairemos novas empresas com a criação do Parque Industrial de tecnologia limpa nas margens da Rodovia Dom Pedro I. Desapropriando a região nordeste do município, atrás da Fonte Mécia, forneceremos a área e a empresa se comprometerá a permanecer na cidade por no mínimo 20 anos. Além disso serão ofertados cursos de capacitação para que 60% da mão de obra seja de valinhenses. Com isso você arrecada ICMS e consegue um ganho de receita do município para investimentos. Com a taxa de pleno emprego alta, o próprio trabalhador também coloca recursos na economia local fortalecendo a prestação de serviços. É um ciclo.
Vamos investir também na vocação turística e gastronômica da cidade dando aporte à regiões produtoras de frutas e derivados atraindo turistas o que também gera receita.
A agricultura, a muito esquecida na cidade recebera suporte técnico e financeiro, com a participação em programas estaduais e federais de fomento e a garantia de fornecimento primeiramente para as merendas escolares. Isso gera segurança e renda para quem produz.
Com todas essas ações conseguimos dinamizar a economia local a exemplo de Vinhedo e Louveira.

5 – Melhorias na saúde valinhense é uma grande reivindicação da população, como o senhor pretende resolver o problema da demanda no atendimento no município, que a cada dia aumenta por conta da utilização do UPA por moradores de outras cidades?

O primeiro passo é formalizar contrato com a Santa Casa com valor estipulado sobre serviços prestados. Ficará também por conta da Santa Casa o gerenciamento da UPA, dispensando o INASI e aumentando a receita para investimento na saúde. Vamos trabalhar com a descentralização do atendimento, mandando para as UBS’s as equipes do programa da Saúde da Família.
Convênios com laboratórios e também com empresas de ambulâncias darão celeridade ao atendimento e a segurança de termos todas as ambulâncias em pleno funcionamento por um custo menor do que o atual.
Quanto as pessoas que vem de fora, a prioridade é atender os moradores. Esse é o primeiro desafio.

6 – Vários setores como o comércio e a indústria foram afetados pela crise. Ao seu modo de ver, como a prefeitura pode ajudar esses setores, e amenizar os efeitos da crise para a população?

Parte desta pergunta foi contemplada na de número 4. Acrescentaria a isso o Cartão de Consumo Interno para os servidores públicos que injetará no comércio cerca de 1 milhão de reais ao ano.

7 – Qual é seu projeto para atividades voltadas aos jovens da cidade de Valinhos?

Implantar e implementar o Conselho Municipal da Juventude.5 Elaborar o Plano Municipal de Juventude, que definirá em consonância com o Estatuto da Juventude as diretrizes para as políticas públicas a serem desenvolvidas no Município; Construir o Mapa da Juventude da cidade para compor um diagnóstico sobre a situação dos jovens do município e entender os principais aspectos de vulnerabilidade e demanda juvenil; Incentivar a livre associação dos jovens; Implementar um programa de abordagem ao jovem em uso de drogas para encaminhá-lo aos programas como forma de substituição aos tratamentos em locais fechados (atividades de interesse dos jovens); Criar um amplo Plano de Qualificação Profissional para a juventude que aumente o acesso ao ensino superior e técnico de qualidade, assegurando capacitação e encaminhando para o emprego; Criar mais espaços públicos de integração e articulação dos jovens; Implementar programas que articulem políticas de transferência de renda, formação profissional e acesso a políticas públicas de cultura, esporte e lazer; Retomada do Programa de Saúde da Juventude que priorize a saúde preventiva, reduza acidentes e violências e capacite recursos humanos para o trabalho com a juventude; Fortalecer as políticas de segurança que incorporem as especificidades da juventude na prevenção, na interação com os operadores de segurança pública e no combate qualificado à violência, garantindo ao jovem o seu desenvolvimento saudável e seguro; Garantir na política cultural o acesso e a produção de bens culturais, por meio do financiamento direto aos jovens, na construção descentralizada de equipamentos públicos de difusão cultural (cinemas e teatros públicos, centros culturais e bibliotecas).

8 – Qual é seu projeto para atividades voltadas a terceira idade da cidade de Valinhos?

Propiciar a efetiva implantação do Estatuto do Idoso. Abrir novos convênios, para ampliar o número de vagas de acolhimento de longa permanência aos diferentes graus de dependência. Implantar e implementar a Coordenadoria da Pessoa Idosa. Promover o incentivo da destinação do Imposto de Renda ao Fundo do Idoso, por meio de campanhas e meios de comunicação. Estudo e levantamento da situação da população Idosa no Município, fazendo o mapeamento por bairros. 50 Promover curso de capacitação para os profissionais que fazem atendimento às pessoas idosas. Implantação do Centro Dia para Idosos visando o atendimento desses usuários com limitação de autonomia e independência comprometida, temporal ou definitiva. Promover curso para cuidadores de idosos. Obs. Algumas das propostas vieram das Conferências Municipais.

9 – Qual é seu projeto para atividades voltadas aos deficientes físicos de Valinhos?

Criar cartilha sobre crianças e adolescentes com deficiência incluindo a cultura Afro-Brasileira. Fazer campanhas junto aos segmentos comerciais e industriais visando a inserção de mão de obra feminina com deficiência, no mundo do trabalho. Produzir Convenção dos Direitos da Pessoa com Deficiência em linguagem infanto-juvenil. Propor suporte ao poder Executivo na elaboração de diretrizes de implantação e Implementação da Coordenadoria que deverá ser vinculada ao Gabinete do Prefeito. Propor um canal de diálogo entre a sociedade civil e o poder público na promoção de ações que garantam a participação das pessoas com deficiência na implantação e implementação da Coordenadoria. Constituir grupo de trabalho que organize e refaça o censo feito com a participação dos diferentes segmentos da sociedade. Solicitar a inserção de representatividade do CMDPD no Plano Municipal Viver sem Limites. Formular a implantação de políticas públicas permanentes, diferenciadas e específicas com a perspectiva de igualdade de gênero e autonomia das mulheres priorizando as mulheres com deficiência

profissionais dedicados às crianças e adolescentes com deficiência.

10 – Qual é o recado que você quer deixar para população valinhense?

Vote 12!