Prefeitura seleciona cuidadores para alunos com deficiência

0
119

A Prefeitura de Valinhos está contratando estagiários de pedagogia, que vão atuar na Rede Municipal de Educação como cuidadores de crianças com deficiência, através do contrato com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). Os cuidadores estão sendo selecionados a partir desta quinta-feira (1) e a primeira turma deve começar a trabalhar nas salas de aula na segunda-feira (5).  A capacitação dos selecionados começa nesta sexta-feira (2) com profissionais da Secretaria de Saúde. Serão preenchidas 100 vagas.

Os interessados devem estar com seus currículos cadastrados no CIEE para participar do processo. A unidade do CIEE que atende Valinhos é a de Vinhedo, e o telefone para informações é o (19) 3876-4965.

Nesta quinta, 34 cuidadores foram selecionados e estão apresentando documentação para a  contratação. Eles participam de curso de capacitação na sexta e devem iniciar o trabalho na segunda. O contrato prevê seis horas de trabalho por dia. Os estagiários cumprirão cinco horas em sala de aula e uma hora restante será dedicada a ampliar e aprimorar a capacitação. A seleção continua sendo feita nesta sexta e nos próximos dias até que as 100 vagas estejam preenchidas.

Em reunião realizada na tarde desta quarta-feira (30), no Centro de Convivência de Idoso (CDI) Roque Palácio, o secretário da Educação, Zeno Ruedell, acompanhado da equipe técnica da Secretaria e da vice-prefeita Laís Helena, que representou o prefeito Orestes Previtale, explicou a cerca de 60 pais de alunos portadores de deficiências o impasse em torno da contratação de cuidadores.

 

Rompimento de contrato

A empresa Adeso foi contratada no início deste ano pela Prefeitura, através de licitação, para fornecer 110 cuidadores para atuar na rede municipal, acompanhando crianças que precisam de socialização, estimulação, alimentação, higiene e apoio à mobilidade.

Mas desde o início a Adeso não cumpriu o contrato, que precisou ser rompido pela Prefeitura. Na abertura da reunião com os pais, foi lido um documento explicando os motivos do rompimento do contrato, entre eles ausência de cuidadores volantes, falta de material necessário como luvas e álcool gel, descumprimento de questões trabalhistas, pagamento de vale-transporte, falta de capacitação e atraso no pagamento dos profissionais, embora a Prefeitura estivesse pagando em dia a empresa pelo serviço.

“A empresa não cumpriu suas obrigações contratuais e estava gerando muitos problemas na condução desse trabalho, que exige muita responsabilidade e dedicação”, explicou o professor Zeno.

A Prefeitura rompeu o contrato com a Adeso e, no dia 28 de maio, deu início a um novo processo licitatório para a contratação de nova empresa para atender os alunos já no início do segundo semestre do ano letivo de 2019. A licitação teve seu resultado apresentado no dia 18 de julho, mas três empresas entraram com recursos e o resultado da licitação não pôde ser homologado.

Para que os alunos pudessem ser rapidamente atendidos, a Prefeitura firmou contrato com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). “Entendemos a expectativa dos pais, mas pedimos compreensão, pois estamos empenhados em garantir que o cuidador dos alunos esteja em sala de aula o mais brevemente possível”, afirmou.

A vice-prefeita Laís Helena, que também é professora, defendeu o encontro com os pais “Em respeito a cada um de vocês e seus filhos, optamos por realizar este encontro, olho no olho, pois é nossa obrigação dar a vocês toda explicação que se fez necessária”, disse.

O vereador André Amaral participou da reunião e afirmou que está acompanhando desde o começo a situação. “Acompanho o problema dos dois lados e sei o quanto a equipe da Educação está empenhada em solucioná-lo”, comentou.

 

Atendimento especializado

No encontro, os pais puderam fazer perguntas e tirar dúvidas. A diretora pedagógica da Secretaria de Educação, professora Ana Angélica Júlio, explicou que o Município possui o Atendimento Educacional Especializado (AEE), conduzido por uma equipe de professores com formação em Educação Especial, preparada e dedicada ao atendimento dos alunos com deficiência.

“Nesse processo há o grupo que orienta os gestores, formado por diretores, coordenadores e professores. Há ainda os professores de apoio, que são 43 no total, os cuidadores e, por fim, o professor do AEE”, explicou a diretora.

Segundo ela, essa equipe está à disposição dos pais para qualquer dúvida ou explicação a respeito do trabalho direcionado aos seus filhos. “Nosso objetivo é que as crianças evoluam e tenham autonomia durante o processo de aprendizagem”, acrescentou.

 

Docência Compartilhada

O Projeto de Inclusão – Docência Compartilhada, implantado no início deste ano pela Secretaria da Educação, está sendo executado. Nessa proposta, a Secretaria utiliza professores da Rede Municipal, capacitados em Educação Especial, para dar apoio ao aluno com deficiência em sala de aula, junto com o professor da turma.

O projeto beneficia diretamente 280 alunos com deficiência identificados pela Secretaria de Educação, do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental da Rede Municipal.

“Enquanto o cuidador cuida especificamente das necessidades do aluno, o professor da Docência Compartilhada planeja e atua, junto com o professor da sala, meios que permitam a efetiva participação e o desenvolvimento sociocognitivo desse aluno com deficiência e seus demais colegas”, explicou Ana Angélica.

Fonte: Prefeitura Municipal de Valinhos