PRTB vai à Justiça brigar por cadeira na Câmara

0
575
Presidente do PRTB - Valinhos, José Aparecido Aguiar, usando a Tribuna da Câmara Municipal de Valinhos.

 

Após acusar publicamente o candidato Reginaldo Alves Costa de ter sido supostamente subornado para desistir do recurso que pedia o deferimento de sua candidatura, o presidente do PRTB, José Aparecido Aguiar, garantiu que o Partido vai à Justiça brigar pela cadeira que pertenceria à sigla se os votos de Reginaldo fossem contabilizados.

Reginaldo teve 82 votos e concorreu sob Júdice devido a pendências na documentação. Caso os votos fossem computados pela Justiça Eleitoral, a distribuição das cadeiras do Legislativo entre os partidos seria alterada, e elegeria o também candidato pelo PRTB, Alexandre Japa.

Com a desistência de Reginaldo, quem assume a cadeira é Roberto Costalonga “Salame”, do PSDB.

De acordo com Aguiar, a candidatura de Reginaldo foi prejudicada pela demora na emissão de uma certidão. “Isso aconteceu com outras centenas de candidatos pelo Brasil devido a morosidade do Fórum em decorrência da pandemia. A certidão, contudo, foi emitida e a situação seria com certeza regularizada. Estava tudo certo, até que o Reginaldo recebesse a visita de assessores do vereador até então eleito e mudasse de opinião. Acredito que pode ter ocorrido suborno”, afirmou Aguiar.

O presidente do PRTB afirmou ainda que um dos advogados que aparecerem no pedido de desistência de Reginaldo é Vandré Bassi Cavalheiro, candidato a vereador pelo PSDB em Itapira/SP, mesmo partido de Salame.

Além de Aguiar, Alexandre Japa também representou contra a decisão proferida na tarde desta quarta-feira, dia 9, que acatou o pedido de desistência de Reginaldo.

Questionado pelo Valinhense, Japa ressaltou que vê a desistência de Reginaldo como uma afronta à democracia. “Não sei o que realmente aconteceu, mas me surpreende e muito uma pessoa desistir do seu processo apenas para nos prejudicar”, disse.

”Está na hora de ter meu retorno”
Também nesta quarta-feira, dia 9, o áudio de uma suposta conversa entre Reginaldo e Aguiar circulou pelo WhatsApp. O áudio consta no processo enviado ao TRE. Na mensagem, o candidato afirma que recebeu a visita de assessores de um vereador, ressalta que teve muitos gastos durante a sua campanha e finaliza com a frase: “está na hora de ter meu retorno”.

O Valinhense entrou em contato com Reginaldo e perguntou a que tipo de retorno ele se referia e quem foram os assessores que o visitaram. O candidato leu as perguntas enviadas via WhatsApp, mas não se manifestou até o fechamento desta reportagem.

Já Salame disse que as acusações de suborno terão que ser provadas na Justiça.

 

Fontes Fotos: divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/#/municipios/2020/2030402020/72257/candidatos

Foto Aguiar: http://camaravalinhos.sp.gov.br/?module=noticias&id=5451