Saúde não se empurra com a barriga

0
95

Marcar consulta na rede municipal de saúde exige paciência e também saúde, pois dependendo do caso, demora tanto que o paciente pode nem chegar até a data marcada. É um drama comum em praticamente todas as cidades para quem não tem plano particular. Em Valinhos não é diferente. Todas as semanas vemos relatos desesperados nas redes sociais, e sabemos de casos de indignação com a demora no atendimento público, desde os emergenciais até as consultas.
Através de sua assessoria de imprensa, a Prefeitura afirmou que não tem um número aproximado de pessoas que esperam na fila de consultas. Segundo ela, as demandas variam de UBS (Unidade Básica de Saúde) para UBS, e que, em algumas, consegue-se agendar para poucas semanas ou próximo mês. Recentemente foi realizado um concurso público para ampliar o atendimento da rede municipal através da contratação de mais médicos.
Porém, o que se vê nas ruas e nos estabelecimentos de saúde, a realidade é de valinhenses que dependem dos serviços públicos tendo que aguardar muito para chegarem suas consultas. O problema repercute na Câmara constantemente, com a questão sendo trazida por vereadores para se discutir no plenário. Mas, apesar de muito se falar, nada se faz e a demanda há muito tempo é insuficiente e quem mais sofre são os mais pobres.

Alternativas
A Prefeitura trata com normalidade o tempo de espera das consultas. Sendo assim, não são consideradas alternativas que visam diminuir ou até zerar a fila de consultas. O Corujão da Saúde, de iniciativa estadual, é uma medida que poderia auxiliar, assim como o funcionamento das UBS’s aos sábados. Mas, para isso acontecer, depende da ação do Executivo, do Legislativo e, principalmente, da população se organizar e cobrar melhorias no atendimento público, pois a saúde não se empurra com a barriga.